Taxa Referencial: saiba o que é a TR e como ela pode te impactar

Se você chegou a este artigo, provavelmente, que saber mais informações sobre a taxa referencial, não é mesmo? 

Grande parte das pessoas não entendem o seu significado e a sua função, que é bastante aplicado nos investimentos. 

Neste artigo vamos abordar as principais informações sobre a taxa referencial. 

  • O que é Taxa Referencial?
  • Como é calculada a Taxa Referencial?
  • Onde a Taxa Referencial é aplicada?
  • Como surgiu a Taxa Referencial?

Continue a leitura e tire todas as suas dúvidas. 

O que é Taxa Referencial? 

A Taxa Referencial é conhecida como a taxa de juros referência. Ou seja: ela utiliza outras taxas para chegar a um denominador comum. 

Ela foi criada em 1991. Naquele período, a sua principal missão era apontar os juros vigentes diariamente para impedir que a taxa desse mês causasse um efeito na inflação do mês passado. 

É fundamental deixar claro que nessa época, o nosso país tinha um cenário preocupante de hiperinflação. Os brasileiros perderam o poder de compra e não podiam adquirir todos os bens que desejavam. 

Atualmente, a Taxa Referencial tem como finalidade medir o rendimento de alguns investimentos. Para se ter uma ideia, o saldo das contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) rendem a TR anualmente. 

Vale observar ainda que a Taxa Referencial é utilizada em diversas operações, entre as quais: financiamentos imobiliários e títulos de capitalização.

Agora que você já sabe o que é taxa referencial, acompanhe como foi o histórico desse índice no ano passado. 

Taxa Referencial em 2019

Do lado esquerdo está o mês, e do lado direito está a Taxa TR (%). 

  • Janeiro: 0,00%;
  • Fevereiro: 0,00%;
  • Março: 0,00%;
  • Abril: 0,00%;
  • Maio: 0,00%;
  • Junho: 0,00%;
  • Julho: 0,00%;
  • Agosto: 0,00%;
  • Setembro: 0,00%;
  • Outubro: 0,00%;
  • Novembro: 0,00%;
  • Dezembro: 0,00%. 

Histórico Completo da Taxa Referencial

AnoTaxa Referencial (%)
1991335,51
19921.556,22
19932.474,73
1994951,19
199531,62
19969,55
19979,78
19987,79
19995,72
20002,09
20012,28
20022,80
20034,64
20041,81
20052,83
20062,03
20071,44
20081,63
20090,71
20100,68
20111,20
20120,28
20130,19
20140,85
20151,79
20162,01
20170,59

Histórico da Taxa Referencial desde a sua criação – Fonte: Banco Central

Como é calculada a Taxa Referencial? 

O Banco Central é o responsável por calcular a Taxa Referencial. Esse procedimento é feito mensalmente ou diariamente. No site da instituição, você pode ter acesso a todos os dados. 

Para fazer os cálculos, o Banco do Brasil usa como base a média dos juros pagos, todos os dias, por CDBS que estão prefixados nas 30 maiores instituições financeiras do país, que é denominada de Taxa Básica Financeira (TBF). 

Vamos a um exemplo? 

Diariamente, o Banco Central faz a média das taxas de juros dos CDBS, que costumam ser oferecidos pelas instituições financeiras que estão espalhadas pelo nosso país. 

Para isso, é utilizada a seguinte fórmula. 

TR = 100 x [ ((1 + TBF)/R) – 1]. 

O mais interessante é que o Banco Central proporciona ao brasileiro uma calculadora da TR. Ela ajuda a consultar o valor no dia de sua preferência. 

Nunca é demais lembrar que existem dois tipos de taxa de referencial: mensal e diária. 

A taxa mensal usa como base a soma de todas as TRs diárias do mês. Além disso, ela é usada na correção monetária de investimentos. 

Na poupança, a TR usa para correção, a taxa de referência mensal, junto com o  Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic). 

Onde a Taxa Referencial é aplicada? 

Muitos investidores usam a taxa referencial para aplicá-las em investimentos e correções monetárias. 

Descubra abaixo quais são os efeitos da taxa referencial em nosso país. 

Poupança 

A taxa referencial impacta diretamente na remuneração da poupança. O custo da TR é calculado junto ao rendimento original desta aplicação. O número depende taxa SELIC. 

Vamos a um exemplo? 

Imagine que a taxa Selic está acima de 8,5% ao ano. O rendimento da poupança será de 0,5% calculado à variação da TR. 

No entanto, se a Selic for inferior a 8,5%, o resultado do rendimento será 70% da Selic calculado com a taxa referencial. 

FGTS

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) também é afetado pela taxa referencial. 

Esse cenário ocorre porque o dinheiro permanece intacto durante muito tempo, ele precisa render para não ser desvalorizado pela inflação. O rendimento é somado em 3% a cada ano, junto a TR.  

A Taxa referencial também afeta outros investimentos como o financiamento imobiliário e títulos de capitalização. 

Como surgiu a Taxa Referencial?

Existem diversos dados históricos que são importantes para aprofundar no conhecimento em relação a Taxa Referencial. 

  • Ela foi criada em 1991, durante o plano Plano Collor II;
  • Foi instituída pela Lei 8.177;
  • A taxa referencial não é mais utilizada com o mesmo objetivo do início da sua criação. No entanto, ela é bastante usada para descobrir a rentabilidade de investimentos ou como base na taxa de juros de financiamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
0 Compart.
Compartilhar
Pin
WhatsApp
Compartilhar