Plano Real: O que foi e como acabou a inflação no Brasil

O plano real foi importante para a economia do nosso país. Ele garantiu a estabilização dos preços, impedindo o alto crescimento da inflação. 

Neste período também nasceu a moeda brasileira, o Real. 

Quer saber mais informações sobre o plano real? 

Neste artigo, vamos abordar todos os detalhes sobre o assunto.  

  • O que foi o plano real?
  • Quais foram as fases do plano real?
  • Quem criou o plano real?
  • O plano real foi implementado com facilidade?

Continue lendo este texto e tire todas as suas dúvidas. 

O que foi o plano real? 

O Plano Real foi um dos momentos mais importantes da nossa história. Ele teve início em 27 de fevereiro de 1994 por meio da uma medida provisória de número 434.

O plano foi criado para desenvolver uma reforma e manter a economia do país estável. 

O Real foi oficializado como a moeda do Brasil somente em 1º de julho de 1994. 

O plano foi criado pelo governo de Itamar Franco para conter altos índices de inflação que atormentavam a população brasileira. 

Para se ter uma ideia, o índice de inflação era de quase 27002% em 1993. Ela durou por quase 30 anos. 

Antes do plano real, os pacotes econômicos tinham como principal marco o congelamento de preços. 

A implementação do plano real não foi uma tarefa fácil. Ele teve três fases que foram denominadas da seguinte forma: O Programa de Ação Imediata; a criação da URV (Unidade Real de Valor) e Implementação da nova moeda, o Real. 

Quais foram as fases do plano real? 

Agora que você já sabe o que foi o plano real e porque ele é importante, vamos conhecer as principais fases do programa. 

O Programa de Ação Imediata foi a primeira fase do plano real. Nela, foi desenvolvido o planejamento para o lançamento do plano que ocorreu no ano seguinte.  

O programa conseguiu identificar algumas necessidades importantes para o projeto. 

  • Redução de gastos públicos; 
  • Recuperação da receita; 
  • Monitoramento dos custos no relacionamento com Estado e Municípios; 
  • Mudanças nos bancos estaduais; 
  • Privatizações; 
  • Alterações nas funções dos Bancos Centrais. 

O plano ainda teve a segunda fase que foi denominada de Unidade Real de Valor (URV). Ela foi responsável por converter não só os salários como os benefícios previdenciários. 

Sem dúvidas, a terceira fase foi a mais importante. Ela é a medida provisória que criou o Real, a nova moeda do Brasil. 

Quem criou o plano real? 

A história sempre entra em conflito quando se refere a criação do plano real. 

Algumas teorias defendem que ele foi construído pelo ex – presidente Itamar Franco. Ele nomeou o Ministro da Fazenda Fernando Henrique Cardoso para acabar com a inflação que crescia de forma acelerada naquele período. 

Outras pessoas defenderam que o plano real foi criado pelo Ministro da Fazenda Fernando Henrique Cardoso. Ao lado de uma equipe de economistas competentes, ele desenvolveu o plano para pôr fim ao problema que se instalava no país. 

Para muitas pessoas, o plano real foi determinante para que Fernando Henrique Cardoso conquistasse as eleições em 1994. 

O plano real foi implementado com facilidade? 

O plano real não surgiu da noite para o dia. Pelo contrário, muitas pessoas tentaram implementá-lo em outras épocas, mas sem sucesso. 

No governo de José Sarney, em 1986, foi criado o Plano Cruzado. A inflação foi desacelerada por causa de uma reforma monetária. Naquele período, o Cruzado (Cz$) foi substituído pelo Cruzeiro (Cr$)

Além disso, o governo congelou os preços. A população tinha liberdade para denunciar os estabelecimentos que não seguiam de acordo com os preços que foram estipulados pela tabela. Esse cenário ficou conhecido em nossa história como “Fiscais do Sarney”. 

No entanto, as ações não surtiram o efeito desejado e houve bastante dificuldade para abastecer os mercados. 

Plano Bresser

Em 1987, Luiz Carlos Bresser-Pereira foi o responsável por impedir o crescimento da inflação e a controlar o déficit público. Algumas estratégias foram utilizadas como o congelamento de preços e a alteração nas datas de início das obras. Porém, elas não trouxeram o resultado esperado pelo governo. 

Plano Verão 

Em 1989, o Plano Verão foi liderado pelo Maílson da Nóbrega, que era o ministro da fazenda. Além de estabelecer o congelamento de preços, Nóbrega também criou uma nova moeda: o Cruzado Novo. Assim como as outras tentativas, essas ações não alcançaram o objetivo. 

Plano Collor 

No Plano Collor, a presidência estava sob comando de Fernando Collor de Mello, em 1990. Nesse cenário, a nova moeda brasileira foi denominada de Cruzeiro, trazendo também o famoso congelamento de preços e até de salários. 

Zélia Cardoso de Mello era a ministra da Fazenda e foi a responsável por confiscar a poupança dos brasileiros. Isso significava que os depósitos em conta corrente não poderiam ultrapassar o limite de 50 mil cruzados. Já as outras economias foram bloqueadas por 18 meses. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
0 Compart.
Compartilhar
Pin
WhatsApp
Compartilhar