O que é o IGP-M? Descubra Tudo Aqui

O Índice geral de preços do mercado (IGP-M) é muito importante para a economia do nosso país e para vários setores. No final de cada mês, eles publicam os seus valores e o mercado usa o número como base para tomar decisões mais eficientes. 

Quer saber mais informações sobre o IGP-M. 

Neste artigo, vamos apresentar os principais detalhes sobre o índice. 

  • Afinal, o que é IGP-M?
  • Para que serve o IGP-M?
  • Como é calculado o IGP-M?
  • Quais são as diferenças entre IPCA e IGPM?

Continue lendo este artigo e tire todas as suas dúvidas. 

Afinal, o que é IGP-M?

O IGP-M nada mais é que um indicador de preço. O cálculo é feito pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). O IGP – M é utilizado para monitorar a inflação a cada mês. Ele ainda compõe outros índices como: IPA, IPC  e INCC. 

No entanto, é fundamental deixar claro que o valor do IGP-M não tem o hábito de ser semelhante ao do mercado, pois ele representa o índice geral dos preços.

Esse panorama acaba afetando a rotina dos funcionários de uma indústria. Afinal, eles podem ter a produção impactada em virtude das alterações no dólar. 

A dinâmica do IGP-M é confundida com o IPCA. Porém, eles têm diferenças. 

O IPCA, por exemplo, é um índice de preços ao cliente, totalizando os gastos de famílias que têm renda entre 1-40 salários mínimos. 

No IGP-M, somente 30% (IPC) é incluído por preços ao cliente. 

Portanto, o IGP-M é fundamental para a macroeconomia do Brasil. Se você é um investidor, não pode ignorar o poder desse índice para investimentos de curto, médio e longo prazo. 

Nas pesquisas do IGP-M, os analistas observam a movimentação de preços em várias categorias que impactam a nossa qualidade de vida. As mais comuns são: comida, transporte, vestuário. 

Dessa forma, quanto mais alto for o valor desses itens, mais alto será o preço do indicador, e vice – versa. 

Quando ocorre o acréscimo, o dinheiro tem um peso menor, uma vez que os seus rendimentos não são alterados pela inflação. 

Para que serve o IGP-M? 

O Índice Geral de Preços do Mercado (IGPM) monitora a inflação em todas as regiões do país. Não importa a realidade financeira ou a localidade dos brasileiros. 

Ele tem alterações mais inconsistentes e tem probabilidade de despontar com mais agilidade se comparado com o IPCA. 

Se os números sobem, o dinheiro tem um peso menor. Um investidor, por exemplo, nunca deve analisar esses dados sozinhos. É importante avaliar com os outros índices para prever com mais assertividade as movimentações do mercado. 

Portanto, recomendamos monitorar a macroeconomia com o IGPM,  Selic e outros dados. 

Como é calculado o IGP-M? 

A porcentagem do IGPM deve ser calculada após juntar todos os preços do mercado brasileiro. 

A FGV é a responsável por coletar esses dados no Brasil. Ela busca os valores que são praticados em diversas áreas da economia, entre os quais: indústria, construção civil, agricultura, comércio varejista e serviços profissionais prestados a lares.

A coleta tem início sempre no dia 21 do mês anterior e vai até o dia 20 do mês que está sendo analisado. Após esse período, a FGV divulga a cada 10 dias as modificações prévias que vão compor o índice de todo o período. 

Porém, o IGP-M não é calculado de forma única. Ele é uma média de outros índices que calculam o preço: índice de preços por atacado (IPA-M), índice de preços ao consumidor (IPC-M) e índice nacional de custo da construção. 

Conheça abaixo as características de cada um. 

  • Índice de preços por atacado (IPA-M): esse índice tem o peso de 60% do IGP-M. A sua principal missão é acompanhar as alterações do comércio atacadista. Ele busca entender o panorama do mercado que antecede e impacta nas vendas do varejo; 
  • Índice de preços ao consumidor (IPC-M): esse índice tem o peso de 30% do IGP-M. Ele acompanha as motivações dos valores nas áreas que influenciam o poder de compra do cliente. As mais comuns são: alimentação, habitação, vestuário, saúde e cuidados pessoais, educação, leitura e recreação e transportes. 
  • Índice nacional de custo da construção: esse índice tem peso de 10% do IGP-M. Ele é medido em 7 capitais do nosso país. Ele monitora as alterações de custo para construir uma casa no Brasil. Nesse valor, está incluido os gastos com mão de obra especializada. 

Quais são as diferenças entre IPCA e IGPM? 

O IPCA é considerado a inflação oficial do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Nela, a oscilação não ocorre com frequência e aponta como está a valorização do dinheiro no mercado atual. 

Já o IGPM é calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). O seu índice tem mais aproximação com o mercado. Por causa dessa características, tem mais chances de sofrer com a oscilação. 

O IGP-M é fundamental para o Brasil. Ele mostra como está a realidade econômica do país e como a população é impactada com as mudanças nas áreas políticas, sociais e financeiras. 

Se o número aumenta sem freio, as famílias têm o poder de compra diminuído, menos consumo no mercado e uma maior taxa de desemprego. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
0 Compart.
Compartilhar
Pin
WhatsApp
Compartilhar